Blogueiras unidas e os digital influencers

Hoje é dia de falar de um lançamento especial, a linha de oito batons da blogueira Bruna Tavares, do Pausa para Feminices, com a Tracta.

Desde que iniciei minha jornada no meio dos blogs, minha porta de entrada para o jornalismo de moda, tive sentimentos conflitantes por esse segmento.

A parte que sempre me aproximou foi a liberdade editorial, pois no seu blog você fala sobre o que quer, quando quer e como achar mais interessante. Além disso, o jornalismo de moda sempre foi muito fechado, muitas vezes um jogo de cartas marcadas, e com a ascensão dos blogs o ato de se comunicar dentro do segmento ficou algo muito mais acessível.

A parte negativa? Quando começaram a desenrolar coletivos de blogueiras, sentia que os conteúdos tinham mais valor como catálogo do que algo orgânico, sempre puxando para o consumismo. Eles passaram de patamar awareness para pontos de vendas e isso me incomodava um pouco sim, pois aumentava as armas da mídia tradicional contra os chamados influenciadores do mundo digital e enfraquecia o potencial da informação.

bruna-tavares-tracta-batom

Tive também influência de muitos entendidos do marketing e da comunicação para chegar a achar que as blogueiras tinham seus dias de fama e influência contados. Mas o que vemos atualmente? Os influenciadores seguem em alta, as mídias tradicionais em queda ou estagnação.

Mais do que isso, com o uso dos adblockers, extensões que bloqueiam propagandas, só aumenta a vontade de empresas a se aliarem aos blogueiros – muito mais do que os formadores de opinião das redes sociais, que não melhoram o ranking dessas empresas no mundo do SEO (search engine optimization), e respectivamente a posição dessas marcas dentro de ferramentas de buscas, como o Google.

“Você é tão bom quanto o seu pior funcionário”, essa foi uma das afirmações usadas na apresentação de Tendências de Marketing de Carlos Giusti, sócio da PWC, durante o último Expo Fórum Digitalks. E ela me fez lembrar que muitos dos nomes fortes do digital trabalham sozinhos ou, no máximo, com um agente dedicado, o que faz com que os ruídos sejam menores e, consequentemente, as mensagens dos clientes sejam passadas com mais verdade. Isso sem falar no budget muito mais atrativo se comparado com o inflado sistema das mídias offline.

Mas qual a razão para falar sobre isso tudo antes de entrar no assunto da Bruna e sua linha de batons? Primeiro para mostrar que as previsões de muita gente do marketing e publicidade estavam erradas, afinal Bruna é um exemplo de conteúdo e também de poder de vendas, segundo para falar que a dona do Pausa Para Feminices mostra essa força do digital se inspirando em outro oito blogueiras de sucesso para batizar seus produtos, fortalecendo ainda mais essa aliança online.

Bruna, que lançou uma hashtag (#pausaparafeminices) que hoje conta com mais de 600 mil posts, uniu sua história com o de Vic Ceridono, Lia Camargo, Camila Coelho, Mariana Saad, Luiza Ferreira (Chata de Galocha) e Bianca Andrade (Boca Rosa) nessa linha da Tracta com bastante pigmento dentro de tubinhos cremosos do batom líquido.

Você ainda duvida do poder do digital? Eu não. O futuro? Ainda é cedo para dizer, mas que os URLs de meninas que geram conteúdo orgânico ainda parecem para mim, desde sempre, uma ótima forma de unir pessoas, marcas e conteúdos.

Foto: Instagram.