Sabores asiáticos – Tailândia , Hong Kong e Macau

No primeiro post sobre os sabores que encontrei na Ásia explorei a alta gastronomia de Singapura, o mix de picante e frutal da Malásia, um restaurante com selo internacional dentro do navio Silver Wind, o chá inglês da Suffolk House, em Penang, e as delícias exóticas e não tão higiênicas da Tailândia. Aliás, continuo falando sobre essa sujeirinha que deu até um sabor no prato 🙂 :

Chegando em Bangkok percebi que a coisa estava ficando séria! As comidas de rua estão expostas em carrinhos e mesmo nos restaurantes você encontra frutos do mar em bandejas de cara para a calçada.

comida-na-tailandia-bangkok-guia-de-turismo

1 – Muitas das comidas de rua ficam assim: totalmente expostas. | 2 – Até o Ronald é zen na Tailândia | 3 – Sorvete 100% feito com água de coco – uma delícia! | 4 – Os famosos insetos para turista ver, fotografar e comer

A higiene é um problema, principalmente na Khao San Road, rua fervida e cheia de hotéis, guest houses e hostels.

Por falar em hostel, eu achei um com preço muito bom, simples porém limpo e com quarto single com banheiro também muito limpo chamado BB House. Se o seu negócio for economizar, indico muito! Tem computadores no térreo, uma área externa bonitinha no terraço e funcionários que não sabem falar muito bem inglês, mas que são muito prestativos! Só tive bons momentos ali.

hostel-tailandia-bangkok-kao-san-road-guia-turismo

1 – BB House – hostel bom, bonitinho e barato perto do bairro mais animado de Bangkok | 2 – Kao San Road – a vida noturna mais louca do mundo pode ser facilmente encontrada aqui, além de espetos de insetos e lady boys animadíssimos!

Voltando para o terreno da gastronomia: É normal encontrar ratos circulando entre os turistas e vendedores lavando louças em baldes no chão.

A minha dica: não tome suco, não consuma nada com gelo, compre apenas água lacrada e em estabelecimentos como o Seven Eleven (tem um a cada esquina), não consuma iogurte local e se for se arriscar nas barracas de rua, aposte na que estiver lotada. Eu fiquei nos pad thai e fried rice só com vegetais. Não passei mal.

Os doces que experimentei são bem estranhos, muitos com arroz e feijão e vários com leite de coco. Aliás, o sorvete de coco que achei no maior mercado de pulgas do mundo, o Chatuchak Market, foi realmente um ótimo achado. Delicioso!

E se você quiser se arriscar – muito – e experimentar os famosos insetos da Tailândia, a Khao San, mesma rua que falei sobre ratos, oferece uma variedade de carrinhos iluminados e cheios de baratas, grilos, larvas e escorpiões enormes!

Experimentei um grilo e não é ruim, mas também não tem muito gosto – é mais casca do que qualquer outra coisa.

Se é limpo?
Provável não, mas ao menos não passei mal.
Conversando com uma tailandesa em Tóquio tive a certeza que os insetos são só pra gringo ver mesmo. E a gente, tonto, embarca 🙂

Saindo da Tailândia e chegando na China, mais especificamente em Hong Kong, encontrei muitas opções para agradar o paladar, já que falamos de uma cidade cosmopolita.

Você encontra desde redes de fast-food, como KFC, McDonalds e Burguer King a preços bem baixos e com coisas específicas no cardápio,como tortinha de doce de feijão e shake de chá verde, até espetos de lula servidos na rua.

turismo-em-hong-kong-gastronomia

Horizon CLub do Sahngri-la me deixando bem feliz com doces e salgados. Esse restaurante também tem a melhor vista de Hong Kong Island e é super romântico.

Eles gostam muito de frango e pato, então já se prepare para ver um festival de aves laqueadas nas vitrines e ensopados acompanhando arroz oriental. Como frango não é muito a minha praia, fui experimentar os dim sum, bolinhos feitos no vapor e recheados de diversas formas. Eles são deliciosos e ficam melhor ainda com molho agridoce.

shangrila-hotel-island-hong-kong-turismo-asia

Por falar em Shangri-la: Essa era a minha suíte por lá. Não preciso nem dizer que é uma rede de hotel perfeita para quem quer luxo na Ásia.

Não falei de shake de chá verde no McDonalds? Pois bem, comi um macaron com o mesmo sabor no Horizon Club do Hotel Island Shangri-la e aprovei! Mas espere que teremos mais chá e sobremesa a seguir.

Dando um pulinho de Hong Kong para Macau (apenas uma hora de ferry), você acha um pouco da culinária oriental misturada com o tempero português. Para quem não sabe, Macau era colônia portuguesa e mantém nome de ruas no nosso idioma, mas apenas moradores com mais idade sabem falar algo que a gente entenda como português.
Passou por lá? Se jogue no pastel de nata (pois de Belém, só em Belém). Não fica devendo nada ao dos lusitanos e nem aos nossos (ok, portugueses lendo esse post – o de vocês é bemmmm melhor sempre!)

pastel-de-nata-macau-asia

É muito gostoso ler uma placa em português após várias semanas rodando pela Ásia

Fotos: Paula Roschel.