Métodos de depilação: laser, luz pulsada, lâmina, eletrólise e mais

Como você se depila? Usa cera, depiladores que arrancam os fios pela raiz ou já testou a luz pulsada ou laser?
Apesar do número crescente de mulheres que optam por manter seus pelos, seja no tom natural, fazendo o famoso banho de lua e até mesmo participando do movimento #dyedpitsque já teve a cantora Miley Cyrus como modelo, grande parte das mulheres ainda elimina essa característica natural e, segundo pesquisa feita pelo Instituto Ilumeo (2013) 62% das brasileiras escolhem a lâmina na hora de ficar lisinha, o que é um número bastante alto para um país com clima quente e grande taxa de mulheres que se depilam, principalmente no verão.

Eu, nas minhas pesquisas de pautas, já testei alguns métodos e conto para vocês como foram essas experiências:

1 – Luz Pulsada:
O aparelho usado nesse teste foi o i-LIGHT Pro, da Remington. Ele dispara uma luz similar ao flash que age na melanina dos pelos, aumentando a temperatura do folículo e inibindo a raiz. É indolor (no máximo você sente uma espécie de choquinho, mas é muito tranquilo) e dá pra fazer em casa, já que ele é indicado para uso doméstico.
O resultado que notei: O pelo demora mais para crescer, mesmo depois da primeira aplicação. Conforme você vai usando, o espaço de tempo do crescimento fica maior.
O resultado segundo a marca: Em testes clínicos, os participantes notaram menos 47,8% de pelos em seis meses, após apenas três tratamentos. É uma depilação temporária que não pode ser usada na área genital, pescoço ou em tatuagens e maquiagens permanentes. Não funciona em pelo branco ou cinza, pois o aparelho age na melanina, que dá cor aos fios.
Valor: R$1439,00 o aparelho. É necessário trocar de tempos em tempos a lâmpada acoplada.

Teste depiladores eletrólise, luz pulsada e calor: i-Light Pro da Remington, No No Hair e Rio

Teste depiladores eletrólise, luz pulsada e calor: i-Light Pro da Remington, No No Hair e Rio

2 – Laser Alexandrite:
Esse foi o primeiro laser que testei e faz muito tempo, mas até hoje vejo seus resultados. Esse método de depilação é definitivo e eu, com pele clara e fios escuros, só precisei de quatro sessões para diminuir mais de 80% dos pelos da região tratada, de uma vez por todas. Existe sim um incomodo, mas muito menor do que o da depilação com cera. Além disso, depois da primeira sessão você já vai ficar um bom tempo sem precisar se preocupar em eliminar os fios (uns seis meses). Mas nem tudo são flores e é necessário cuidado: escolha uma clínica séria, pois esse laser pode te queimar se mal aplicado. Além disso, fuja do sol antes e após o tratamento, de acordo com a indicação do especialista.
Valor: Vai variar muito de clínica para clínica.

3 – No No Hair:
Ele é mais um aparelho de uso doméstico para eliminação dos pelos. Se diferencia dos dois métodos acima por não levar em conta a cor da pele e dos fios para funcionar (contraste melanina x epiderme). Seu funcionamento se dá pelo rolamento do produto sobre a pele, ainda com os fios longos, e a primeira impressão será um cheiro de pelo queimado. Junto com o aparelho você também recebe uma espécie de lixa, para tirar os “cotoquinhos” de fios queimados que ficam após a aplicação. E esses restinhos de pelos que é a maior reclamação das brasileiras sobre o aparelho, mas vou falar o que fiz para burlar esse ponto: escolhi áreas com fios mais finos para testar, como braço e rosto, e passei a tal lixa fina em movimentos circulares nessas áreas posteriormente. Esse aparelho funciona num prazo maior, é necessário paciência. O lado positivo é a ótima alternativa para negras e loiras, que não conseguem usar muitos lasers e luz pulsada.
Valor: em média R$559,00

4 – RevLite Q-Sqitched Nd: YAG:
Quando fui testar esse laser eu me empolguei muito, pois a promessa era aplicação sem dor. E foi exatamente isso que aconteceu!
Você não precisa raspar a área selecionada com lâmina, o que é necessário com o Alexandrite, e assim que o disparo é feito você percebe que os fios ficam brancos e caem (parece mágica). Sua indicação é para pelos mais finos, então usei no buço e aprovei de cara. Ele também serve para eliminar manchas na pele.
Valor: Vai variar muito de clínica para clínica, mas é o mesmo valor do Alexandrite.

Depilador mecânico: trimmer, mola, lâmina facial e a lâmina corporal para público feminino

Depilador mecânico: trimmer, mola, lâmina facial e a lâmina corporal para público feminino

5 – My Spring It:
Você já usou uma mola para se depilar? Essa técnica é boa para áreas pequenas, como buço e, para as corajosas, linha do biquíni. Ela enrola nos fios e arranca os pobrezinhos pela raiz. Então sua função é mecânica, como um depilador elétrico que arranca os pelos ou a cera. Dói!

6 – Eletrólise Rio:
Comprei essa pinça elétrica em Londres na loja da Argos, já que o preço não era muito alto, então resolvi arriscar. Ela funciona através de eletrólise, então é necessário um gel condutor na área dos pelos antes de começar a puxar fio por fio. Dá um trabalho enorme e não vi uma diferença gritante, então não aprovei.

7 – O motivo de não usar cremes depilatórios:
Sou extremamente alérgica e com pele bem sensível, então nunca tive coragem de testar esse produto. Se ele tem capacidade de derreter o fio, imagina o que vai fazer com minha pobre pele especial?! Mas gostaria de saber a opinião de vocês pelo email paula@jornaldamodabrasil.com

8 – O reencontro com a lâmina:
Passei a vida brigando com a lâmina na hora de depilar. Ela pode não manter os pelos longe por muito tempo, mas é a forma mais rápida e emergencial de botar os fios para correr, então voltei a acreditar nela, mas com alguns cuidados, como só usá-la com uma espuma própria para depilar e uma lâmina bem afiada, pois quando ela está meio cega você força mais contra a pele e é muito mais fácil ter irritação.
Outro ponto que vivia batendo na minha mente: “lâmina faz o pelo crescer mais grosso”. Mas isso já foi desmentido por especialistas, só que fica a sensação, né? Mas a questão aqui é que ao cortar o pelo você elimina aquela ponta mais fina do que cresceu naturalmente, além de notar que ele é mais escuro, pois ainda não ficou douradinho por causa da luz artificial e sol.

E sabe como eu tive certeza que os especialistas estavam falando a verdade? Dando uma de doida e testando algo que vi no Japão, durante minha expedição em busca de novidades de beleza.
Lá em Tóquio é muito comum comprar lâminas pequenininhas, usadas para raspar sobrancelha, buço, costeleta e outros pelos faciais. Eu olhei umas três vezes antes de comprar, pois nem imaginava passar isso no rosto, mas resolvi topar o desafio depois que li matérias falando do uso dessa técnica por divas como Elizabeth Taylor e Marilyn Monroe. Ok, elas não usavam apenas para tirar pelo, mas esfoliar o rosto e ficar por mais tempo jovem, mas meu caso era pelo mesmo, então testei e, por incrível que pareça, gostei!
Não tenho muito pelo no buço, pois fiz a sessão experimental de laser e teve uma diminuição grande dos fios, mas de vez em quando eu tiro a penugem que ficou ali com a lâmina ou um trimmer (elétrico). Nos primeiros dias que eles despontam (eu raspo no sentido do crescimento e eles aparecem mais rápido, para evitar irritações) sinto a textura da pontinha do fio, mas isso vai sumir com uns dias e não vai me deixar com cara de foca:

bigode-de-foca

Mas a cara da foca é uma fofura

E não é que nada engrossou ou deu problemas? Sábias japonesas! Mas, como falei, meu buço tem poucos pelos, então não sei como seria a sensação em outras variações.

Mais algumas dicas na hora da lâmina:

  • Depile-se na hora do banho, pois a água quente ajuda a abrir os poros, facilitando a remoção dos pelos
  • Não passe a lâmina a seco, prefira espumas ou gel
  • Troque a lâmina assim que notar que ela está perdendo o corte, caso contrário você vai usar mais pressão para eliminar os pelos e isso pode ocasionar ferimentos e irritações
  • Esfolie a pele uma vez por semana, para tirar células mortas e bactérias.

Fotos: Divulgação e pixabay.