Marmita saudável, mas que tem sabor

Quando começo a ouvir alguém falando de marmita saudável eu logo penso nas insossas batatas doce com peito de frango quase sem sal ou qualquer tempero. Quem consegue ser feliz comendo isso? Obviamente que é questão de gosto e objetivo, pois se alimentar passou a ser o ápice do prazer para uns e ferramenta para um corpo perfeito para outros. Mas não existe um meio termo nisso tudo? Claro que sim.

Eu, como apaixonada por comida, mas também amante dos ingredientes naturais, fui atrás de opções para a rotina puxada que unisse o prazer da mesa com o frescor e qualidade do prato. Como moro na Vila Madalena, tenho o privilégio das opções desse bairro tão cheio de gastronomia e vida noturna, além de ótimos locais para comprar produtos que vão compor a receita, como o Mercado Municipal de Pinheiros, o Hirota – do lado do Beco do Batman e os orgânicos a preço de custo do Instituto Chão (com o sanduíche de pesto e queijo que é um sucesso). E nessa vertente que encontrei o Amuse Food Store e a Baderna Comida Artesanal.

Começando pela Baderna, a dona do projeto e das panelas, Livia Collino, resolveu homenagear a feminista Marietta Baderna no nome e gosta de valorizar receitas com ingredientes frescos, o que atraiu a atenção do pessoal da Lush Cosmetics (as comidinhas nas lojas e eventos da marca são assinados quase sempre por ela).

Além disso, ela trabalhou na equipe que serviu o Paul McCartney em sua última passagem pelo Brasil e aprendeu ainda mais sobre o real sabor da culinária vegetariana (não vem com essa que se não existe proteína animal a comida não é gostosa).

A Baderna entrega em casa marmitinhas, iogurte natural, compota de frutas e cookies incríveis. Bom é que a maior parte das coisas já vem congelada, o que é uma mão na roda para quem está sem tempo durante a semana.

iogurte-natural-geleia-de-morango-com-vinho-do-porto-e-cookie-de-chocolate

Agora falando da Amuse, essa loja/restaurante fica no meio da Vila Madalena, lá na Girassol, e até já foi citada aqui no JornaldamodA por causa dos eventos que promovem no happy hour.Aliás, quinta-feira é dia de jazz por lá.

Mas se você quer levar os pratos para casa é só escolher entre os saquinhos a vácuo na geladeira do andar de cima. Essa embalagem pode ser colocada no frio do congelador ou no calor de uma panela de água quente, sem passar sabor ou substâncias para a comida, segundo os idealizadores. Tem gente que passa lá e compra o menu da semana, ou faz um estoque de mistura, por exemplo.

amuse-food-store

Como o pessoal do Baderna e Amuse são muito queridos, eles mandaram pra gente receitas para tentar fazer em casa e já experimentar o sabor servido por eles. Que tal fazer um muffin de banana ou um cupim na cachaça? Vamos aos ingredientes e mão na massa:

receita-bolinho-de-banana-artesanal-forma-ana-maria

Receita do Baderna – Muffin de banana com castanha do Pará:

– 3 bananas BEM maduras amassadas
– 125 ml de óleo de girassol
– 2 ovos
– 250 gr de farinha integral
– 100 gr de açúcar demerara orgânico
– 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
– 1 colher de chá de fermento em pó
– 1 colher de sopa de canela
– 125 gr de castanha do Pará moída (ou outra da sua preferência)

Preparo:
Pré-aqueça o forno a 160º e prepare 12 forminhas de muffins na assadeira própria (se não eles se esparramam). Numa tigela grande junte os secos: farinha + açúcar + bicarbonato + fermento em pó + canela e castanha. Em outra vasilha, bata os ovos com o óleo. Vá acrescentando a mistura de ovos à farinha aos poucos (vai ficar uma massa bem pastosa) e depois junte as bananas. Distribua nas forminhas e asse por +/- 20 minutos.

Cupim na cachaça do Amuse:

– 200g cupim
– 100g cebola
– 120g tomate italiano
– 3g alho
– 60ml cachaça
– 2g sal
– 4g alecrim

Preparo:
Selar o cupim na panela de pressão com azeite e alecrim. Retirá-lo da panela de pressão e adicionar na mesma panela a cebola, tomate e alho. Deixar suar por 5 minutos em fogo baixo. Glaciar com 40 ml de cachaça, deixar evaporar o álcool e devolver o cupim para a panela. Cobrir totalmente com água e deixar cozinhar em fogo médio entre uma hora e meia a duas horas, ou até ficar macia. Retirar o cupim, coar o molho e ajustar com o restante da cachaça. Cortar em fatias bem finas.

Fotos: Divulgação e Paula Roschel.