Ilhas da Tailândia: Phuket, Koh Phi Phi e Maya Bay

Quando planejei meu tour pela Ásia fiz questão de colocar na lista uma passagem pelas ilhas tailandesas, famosas pelas praias de água turquesa e areia branca. Não é um local fácil de chegar, mas vale cada segundo desfrutado entre mergulhos e paisagens paradisíacas.

paraiso-tailandia-ilhas-viagem-dicas

Como chegar e onde ficar?
Para fazer tal passeio cheguei por Phuket, após um cruzeiro saindo de Singapura e seguindo pela Malásia, mas o mais popular é pegar um voo de Bangkok até lá (se você quiser uma forma mais econômica do que o avião, existem ônibus por 25 reais, mas são 12 horas de viagem e eles não são lá muito modernos).
Chegou? Você tem opção de hospedagem fácil em Patong Beach + arredores e Phuket Town. Patong é cheia de resorts, mais turística e agitada, e também foi um dos destinos na Tailândia mais afetado pelo tsunami de 2004. É um pouco aterrorizante andar ali e lembrar das imagens de devastação.
Eu escolhi ficar em Phuket Town, local mais calmo, simples e próximo dos tailandeses, pois Patong só tem europeu – o que não é ruim, mas também não era o meu objetivo. Fiquei no Phuket Center Apartment, um apart hotel simples, bem localizado, limpo e muito barato! Aliás, a Tailândia é um destino com preços interessantes.

Mas aí que vem o choque de realidade: Singapura é um local lindo, organizado e limpo. A Tailândia é uma bagunça só, mas aqui é o momento de desligar alguns filtros para se divertir.

O problema do transporte
Andar por lá é um verdadeiro pesadelo! Para se movimentar pela cidade, evite tuk tuks com preços absurdos e trajetos cheios de vendinhas que só interessam aos motoristas parar e ganhar porcentagem de suas compras. Eu optei por táxi mesmo e via site Phuket Taxi. Seguro e não vai fazer você parar no meio do caminho.

Passeios
Para fazer passeios é a mesma coisa – muita oferta, muito truque. Eu achei ao lado do hotel um simpático guia e comprei o passeio das tais ilhas com ele (Churang Travel and Tour). Paguei 2300 bahts pelo dia nas ilhas e ganhei um city tour feito por ele mesmo, como guia.

Minha dica aqui fica no seguinte: tour muito barato, barco grande e lotado. O barco que peguei era menor, com um número reduzido de turistas e bem confortável.

Ilhas da Tailândia: Phuket, Koh Phi Phi e Maya Bay

Ficar em Phuket Town é experimentar a vida como um tailandês. Destaque para o sabor das frutas doces e a paz da meditação.

Sobre o city tour: Não espere uma cidade cheia de estrutura, pois aqui é tudo bem simples, mas cheio de belezas naturais. Os tailandeses (tirando alguns taxistas rsrsrs) são honestos e incríveis! Meu guia era muito animado e me levou para rezar e meditar num templo budista onde os moradores locais vão, não tem turista. Lá alguns monges vivem e ajudam animais abandonados – não poderia ter achado um lugar mais incrível pra ir. Também visitei o museu dos insetos, mas parece que essa atração vai fechar. Nele você pode entrar num jardim repleto de borboletas – lindo, mas bem simples.

Minha opção cruelty free
Na Tailândia eles exploram muito os animais pro turismo, como macacos, tigres e principalmente elefantes. Eu não fiz o passeio com elefantes, não tirei foto com tigre e nem vi truque com macacos. Procure santuários, como o dos monges, para ajudar os animais e não escravizá-los. Escrevi muito mais sobre esse tema num outro post.

ilhas-tailandia-guia-viagem

Aproveite para tomar sol e curtir a brisa do barco que te leva até as ilhas para depois pegar um tail boat e mergulhar nas praias paradisíacas de Bamboo Island, Koh Phi Phi e Maya Bay.

O paraíso
Depois de acertar sua ida para as ilhas tailandesas é só pegar o barquinho e começar a sentir o vento bater no rosto, sacar sua câmera e clicar tudo de mais lindo dessa natureza que parece uma pintura. O meu barco tinha um cofrinho que você pagava um depósito bem barato e deixava câmera, carteira e outros itens de valor. Por lá também serviram um almoço bem gostoso e simples, até chegar na primeira e mais emocionante parada: Bamboo Island. Ao se aproximar desse paraíso você precisa passar do barco rápido para o ‘tail boat’, aqueles com coroas de flores, bem típico dessa região. Ele vai te deixar na areia mais branca da sua vida e com o mar quente e delicioso. Uma ótima dica: use e abuse do protetor solar e óculos de sol, pois como eu disse, a areia é tão branca que o reflexo quase te deixa cego.

Eu fiquei por lá uma hora, mas poderia ter passado uns três anos nesse paraíso. Teve muita gente que já começou a fazer snorkel ali, mas eu deixaria a prática para a próxima parada, a incrível e misteriosa Maya Bay.

Maya Bay é considerada o pedaço do paraíso na Terra, além de ser conhecida como o cenário do filme “A Ilha”, com Leonardo Dicaprio:

Aqui sim é o momento para mergulhar e ver um aquário natural ao seu lado. Os peixes são incríveis, com muita cor e variedade de espécies. Volte ao barco e aproveite a próxima parada, Koh Phi Phi Don.

Essa ilha conta com uma infinidade de pousadas e turistas loiros dos olhos claros cheios de vontade de mergulhar, fazer festas e curtir a natureza. Se eu pudesse optar, teria ficado mais alguns dias na ilha, mas isso deixarei para uma próxima e breve viagem por lá. Detalhe: como é uma ilha isolada, os preços de comida, água, drinks e presentinhos são bem mais caros.

O que levei para uma ilha deserta?
1- Repelente: sem ele um alérgico (eu) não sobrevive em ilhas
2- Protetor solar: pois o sol lá não está para brincadeira. Usei um da Shiseido que não é nada oleoso, pois não queria espinhas após o trajeto.
3- Capa waterproof para celular: comprei uma por 5 reais em Singapura, mas você acha aqui no Brasil por uns 20. É aquela com dois grampinhos. Aconselho testar antes de cair no mar, pois vai que ela está com defeito e alaga seu celular?
4- Toalha: uma de rosto serve. Além disso, uma canga para você sentar na areia, pois em algumas ilhas não existe muita estrutura, o que torna tudo mais legal (turismo com emoção).
5- Água mineral: na Tailândia o que mais ouvi foi para sempre andar com minha garrafa de água comprada em um estabelecimento confiável e que tivesse lacre. Vamos evitar piriri, né?
6- Bateria extra: você  vai tirar muita foto! Mesmo quem não curte essa onda de postagens vai virar o louco da selfie.
7- Boné: para conseguir ficar com a cabeça fresca, literalmente.
8- Biquíni confortável ou maiô: Você vai mergulhar, pular do barco e estará acompanhando pessoas de todas os lugares e religiões, então o melhor é conforto.
9- Chinelo: Só cuidado na hora de descer do barco para não entregar sua Havaianas como oferenda, ok? Quase fiz isso.
10- Hidratante labial: para proteger sua boca do mar salgado e do sol. É essencial!
11 – Escova de cabelo: para dar uma organizada no dread que vai virar seu cabelo. Mas é lindo esse look bem praia, não é?

kit-sobrevivencia-ilha-deserta

O maiô é da Kiminis (Karon), o hidratante labial é o bom e velho Ceralip, da La Roche, minhas Havaianas Slim, o protetor da Shiseido e um plus que não é essencial para muitos, mas para mim é: água termal Evian. A embalagem é pequena e acalma a pele após um dia na praia.

Fotos: Paula Roschel.