Testei três: tinta azul que dura muito

Continuo meus posts contando a saga de ter o cabelo azul. Aliás, durante a festa de abertura da MAC Cosmetics na Avenida Paulista eu senti bem o quanto essa cor está em alta, pois achei umas cinco meninas desfilando o mesmo tom por lá, inclusive a querida blogueira Juliana Romano, que misturou cinza na raiz e azul nas pontas (lindo!):

ju-romano-cabelo-azul-cinza

Mas vamos aos testes! Dessa vez testei três, sempre em busca da que dura mais, porém não apenas isso.

Testei três: tinta azul que dura muito

1 – A primeira opção que utilizei foi a “Live Color XXL”, da Schwarzkopf (confesso que preciso pesquisar no Google toda vez que cito essa marca rsrsrsrs). O azul que consegui com ela era intenso e menos esverdeado, mas em uma lavagem já sentia boa parte dos pigmentos escorrendo, deixando verdinho mesmo.

Foi a coloração que mais entregou o tom por igual, sem manchas e variações de azul. Não ressecou o cabelo, mas também não hidratou.

Testei três: tinta azul que dura muito

Light Blue do lado esquerdo e Indie Blue do lado direito

2 – Minha segunda tentativa foi com a “Keraton Hard Colors” Indie Blue, da Kert Professional. Esse tonalizante contém queratina e não tem amônia na formulação.

Ele entrega um azul bem gelado, com fundo cinza, o que eu gostei muito! Sai também em umas duas lavagens, mas deixa os fios esverdeados, porém muito puxado para o cinza mesmo. Eu gostei muito desse desbotado, por mais doida que pareça essa afirmação!

3 – A minha mais nova descoberta foi o “Tonalizante Banho de Brilho Color Express Fun”, da Salon Line, no tom Light Blue e foi a grande revelação.

Quando fui comprar esse tom numa perfumaria do bairro eu ouvi da vendedora que ele sairia na minha roupa se eu saísse com o cabelo azul na chuva, por exemplo. Não comprei, pois acreditei nela.

A marca então me mandou o produto e eu testei, comprovando que a vendedora estava bem errada. Ele entrega um azul bem vivo e turquesa, mesmo que eu não tenha conseguido passar a tinta totalmente por igual (não foi culpa da coloração… eu passei até sem pincel, meio que testando sem achar que ia dar certo).

Ao lavar eu comecei o teste: enxuguei os fios com uma toalha bem clara, para ver o quanto de pigmento ia sair (peguei uma velha, claro!). A minha surpresa: Nada de pigmento no tecido! No travesseiro também não apareceu uma mancha sequer.

Fui então ao teste da lavagem dos fios com xampú: Sim, saiu uma espuma azul e eu pensei: já era a cor! Sequei o cabelo e me impressionei – não desbotou!

Ok, já que é pra testar, vamos aumentar o nível de dificuldade: lavei com xampú anticaspa, que tira pigmento do cabelo – o azul desbotou um pouco, mas muito menos do que eu imaginava! Digamos que ficou quase um verde musgo ao lavar e “azul esverdeado/acinzentado” ao secar, uma cor bem bonita!

E por essas e outras de sempre lavar e chegar no tom cinza que estou pensando em retomar o projeto inicial dos cabelos chumbo e ponta cinza, será que invisto nessa mudança? Mas é claro que vou! Mas primeiro vou terminar meus tubos azuis aqui.

Curiosidade: Desde que descobri que o xampú anticaspa tira mais rapidamente o pigmento dos fios eu comecei a usá-lo a meu favor, para dosar o tom do tubo de tinta com o que eu queria de resultado pra mim, já que a gente sabe que o que aparece na caixinha nem sempre é o que vai ficar nos fios. Além disso, no inverno a gente acaba tomando banho mais quente, então o couro cabeludo sofre mais, por isso optei pelo Head and Shoulder Amêndoas uma vez por semana. Os fios ficam mais soltos e limpos.

Fotos: Paula Roschel e Juliana Romano Instagram.